Uma Vida de Posicionamentos (Parte 3)

Pr. Vagner Oliveira

Texto Base: II Crônicas 26:1-5

Nesses dias temos estudado sobre a vida do Rei Uzias. Já aprendemos que ele foi alguém que seguiu os passos de seu pai, e no seu reinado buscou ao Senhor assim como seu pai e seu avô. Uzias também foi alguém que se deixou ser discipulado pelo profeta Zacarias, e escolheu as pessoas e amizades certas para andar com ele em seu reinado. Hoje vamos falar de outros fatores que foram de suma importância para o seu reinado: sua decisão seguida de suas atitudes. Uzias foi alguém de decisão, atitude e muito trabalho. Vamos enumerar alguns princípios que podemos extrair da vida de Uzias, para usarmos nas nossas vidas hoje.

1-    Uzias edificou torres em Jerusalém (II Crônicas 26:9)

Para se alcançar novos níveis seja no que for, é necessário não somente oração e jejum, mas também decisão, atitude e trabalho. A palavra diz que Uzias edificou torres em Jerusalém. Aqui a palavra “Jerusalém” nos fala da Igreja, da família e do povo de Deus. Então Uzias fez torres em volta de toda a cidade de Jerusalém, que protegiam toda a cidade de qualquer eventual ataque dos inimigos. Essas torres eram bem altas, chegando a medir setenta e cinco metros de altura, e suas muralhas com 12 metros de largura, sendo bem extensas para proteger bem a cidade. Uzias se dedicou na proteção de seu povo, na proteção da Igreja. Entre uma torre e outra existiam as muralhas, para não haver brecha alguma para se passar algum inimigo, e isso nos fala de aliança, pois onde tem aliança não pode existir brechas.

Podemos fazer um paralelo entre a vida de Jesus e do rei Uzias. Jesus lá no Getsêmani orou para proteger o seu povo (Mateus 26:36). Uzias fez o mesmo ao edificar torres em volta de Jerusalém. Nós porém, muitas vezes não estamos o suficiente preparados para proteger e cuidar do nosso povo. Será que estamos preocupados apenas com cargos? Cargo nos serve somente para organização, mas é preciso estar apaixonado pela Igreja, pois ela é o motivo de Jesus ter morrido naquela cruz e ter ressuscitado ao terceiro dia. Você é o propósito de Jesus ter vindo até essa terra! É a Igreja que Jesus vai levar quando Ele voltar pela segunda vez aqui nessa terra. Quantos de nós estamos realmente dispostos a dar a vida pelos nossos filhos? Sejam eles carnais ou espirituais.

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16

Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos. 1 João 3:16

Conhecemos o texto de João 3:16 de cor, mas não nos atentamos para o texto de 1 João 3:16, que nos serve como complemento. Quer ser como Uzias? Proteja a Igreja e construa torres ao redor, pois quando apenas um membro do nosso corpo está doente, todo o corpo sente junto, e não é diferente com o Corpo de Cristo, com a Igreja do Senhor Jesus, quando um membro está doente, todo o Corpo da Igreja de Cristo sente.

Por qual causa eu tenho morrido?  Qual tem sido o meu foco? Existe uma frase que diz o seguinte:

“Faça valer cada dia da sua vida. Se você está vivo, é porque alguém deu a vida por você” Frase do Filme: “O Resgate do Soldado Ryan”

Jesus morreu por mim, para que eu pudesse viver a vida d’Ele. Existe também pessoas morrendo por mim e por você, para cuidar e também gerar fé. Morrem para suas vontades, por seus sonhos e desejos. Outros homens foram ainda mais além. O primeiro mártir da história por exemplo, Estevão, ele sabia que a sua morte iria gerar frutos e que pessoas iriam se converter, como lemos no livro de Atos 7. Deus nos chama para ir além, e não podemos de forma alguma negociar com o mundo. Quando o povo estava para ser liberto do Egito, faraó deu a permissão de que saíssem contanto que eles deixassem suas crianças e esposas (Êxodo 10:10-11). Moisés porém não negociou com faraó e não recuou, conforme Deus o instruiu, e da mesma forma não podemos negociar com o mundo. O quanto tenho guardado os meus filhos? O quanto tenho guardado os meus discípulos?

Adão foi alguém que fez muita coisa errada. Onde estava Adão, quando a serpente tentava induzir Eva a comer do fruto proibido? Com certeza não foi do dia para a noite que a serpente a convenceu. E nesse tempo todo, onde estava Adão? Quando Caim matou Abel, onde estava Adão? Sim porque, a inveja que foi plantada no coração de Caim não surgiu do dia para a noite, então onde estava Adão nesse meio tempo? Qual então tem sido a minha e a sua prioridade? Porque a prioridade de Adão com certeza não estava em proteger a sua família. Precisamos trabalhar duro para proteger a nossa família, a Igreja, o Corpo de Cristo.

2-    Uzias construiu torres no deserto (II Crônicas 26:10)

Essas torres que Uzias construiu no deserto nos fala sobre termos visão e sermos vigilantes. Se o inimigo tem entrado nas nossas vidas é por que nos falta vigilância. É preciso estar atento a tudo que se passa ao nosso redor. Podemos considerar como um tipo de torre o jejum, e outro tipo a oração, e outro tipo o cuidado que temos através do discipulado.

Essas torres foram construídas no deserto, e é no deserto que nós somos tentados e provados, foi assim com Jesus (Mateus 4:1) e também é assim conosco. É preciso entrarmos de cabeça naquilo que estamos propostos a fazer. Podemos considerar a vida com Deus como um fio que conduz energia elétrica. Para poder utilizar essa energia, é necessário desencapar o fio para ter acesso a energia. O problema é que muitos querem chegar até a energia sem desencapar o fio, querem ter uma vida com Deus sem oração, e isso é impossível, da mesma forma que é impossível ter energia de um fio encapado. Construa torres no deserto, para vigiar através do jejum, da oração e do cuidado.

3-    Uzias Cavou muitos poços (II Crônicas 26:10)

Uzias então cavou muitos poços e Jerusalém estava bem abastecida de água. E eu, será que eu estou abastecido da Água da Vida? A falta de água com certeza nos traz grandes transtornos, como não poder lavar uma louça ou até a falta de um bom banho. Ai somos obrigados a pedir por água nos vizinhos ou nos familiares. No reinado de Uzias porém não faltou água porque ele cavou muitos poços.

Será que os membros e visitantes das nossas células tem achado da Água da Vida nas nossas reuniões de célula? Ou essas pessoas são obrigada a irem embora procurar em outro lugar? Cavar poço é intimidade com Deus, é o buscar da presença de Deus, e é preciso cavar, cavar e cavar.

No texto de João 4:5-15, vemos que Jesus é a fonte de Água Viva inesgotável que nunca acaba, e é exatamente essa Água que precisamos ter em nossas vidas: Jesus Cristo. Se Jesus não habitar dentro de nós, que diferença vai ter de mim para outra pessoa que não faz parte do Corpo? Nenhuma. Se queremos impactar a nossa cidade, precisamos cavar poços, para achar a Água Viva que é o próprio Jesus Cristo, para nunca mais tornarmos a ter sede, e também poder tirar a sede de outros através da vida de Jesus que está em nós.

É preciso cavar poços, e a água de um poço nunca é somente para quem o fez. Jacó mesmo cavou o poço dessa passagem onde estavam Jesus e a mulher samaritana, e aproximadamente quarenta gerações depois aquele poço ainda tirava sede e servia muitas pessoas. Cavar poços é ter paixão por vidas, cavar poços é cuidar de pessoas, cavar poços é proteger toda a Igreja, é proteger o Corpo de Cristo. Não cavamos poços somente pela falta de posicionamento em nossas vidas, mas é necessário tomar a decisão e em seguida tomar a atitude, só assim conseguiremos tirar a sede das pessoas levando Cristo até elas.

4-    Uzias possuía uma equipe treinada (II Crônicas 26:11)

Para avançar é preciso ter pessoas treinadas e dispostas ao nosso lado. A palavra “Cristão” significa “pequeno Cristo”, e assim devemos ser treinados e viver, conforme toda palavra que Cristo nos direcionou. Tempo, dedicação, investimento e preço. Não é da noite para o dia, precisa haver aliança, e nosso trabalho só é comprovadamente bom quando nossos discípulos fizerem o mesmo que nós, e o fizerem ainda melhor e maior. O êxito ou derrota de uma equipe é a cara de seu líder, por isso é necessário forjar equipe.

Por tantas vezes falamos mal de Pedro, por ele ter afundado no mar, ou por ele ter negado a Cristo, mas quantas vezes nós mesmos negamos a Cristo com as nossas atitudes? Jesus formou uma equipe poderosa. Sim, foram os seus discípulos que propagaram o evangelho mundo a fora. E o mesmo Pedro que falamos mal, anunciou o evangelho em uma cidade hostil, onde o perseguiram e o mataram crucificado, quase igual a Cristo, mas de cabeça para baixo, pois o mesmo alegou que não era digno de morrer igual ao seu Salvador. Jesus foi até a morte pela sua equipe, e Pedro foi até a morte para gerar novas equipes.

Até que ponto estamos dispostos a morrer pela nossa equipe? Gastar a nossa vida para ativar o reino dos céus aqui na terra? É Preciso assumir a nossa responsabilidade sobre isso. Uzias foi alguém que construiu torres, cavou poços e formou a sua equipe. Somente seremos assim se buscarmos nos encher da vida de Deus em nós. Por nossas próprias forças não chegamos a lugar algum, mas através desses princípios, tendo uma vida com Deus, podemos chegar longe e prosperarmos assim como foi com o rei Uzias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>