O que me Separa de Deus?

Preletor: Pastor Almir de Freitas 

Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste? Essa foi a frase que Jesus disse na cruz, pouco antes de entregar o seu espírito. Alguns dizem que nesse momento, pela dor Jesus estava delirando, oque não é verdade. Em todo momento Jesus estava consciente, cumprindo seu papel como cordeiro enviado de Deus.

Um fato é que o Senhor Deus nunca nos abandona. Deus não abandonou o seu povo diante do mar. (Êxodo 14). Deus não abandonou Daniel, quando ele entrou na cova dos leões.(Daniel 6). Deus também não abandonou aqueles três jovens na fornalha: Sadraque, Mesaque e Abednego.(Daniel 3). Aliás, o próprio Deus estava com esses jovens dentro da fornalha. Deus nunca abandona os seus filhos, como lemos em toda a bíblia. Mas então porque Deus se afastou de Jesus, quando Ele estava na cruz?

Para termos entendimento sobre isso, precisamos ler o Salmo 22 escrito por Davi. Jesus ali na cruz, na verdade declara esse mesmo Salmo de Davi. E no versículo três, o próprio Davi nos dá a resposta: “Porém tu és santo, tu que habitas entre os louvores de Israel.” Jesus ali no calvário, naquela cruz, foi separado de Deus pois todo o pecado da humanidade estava sobre Ele, Pelo fato de Deus ser Santo, Ele teve que se separar de Jesus. Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste? Essa foi uma expressão de dor de Jesus, mas não uma dor causada pelas chicotadas, ou pelos pregos cravados em seu corpo. Essa foi uma expressão de dor, por seu Pai não estar mais com Ele. Essa foi uma expressão de dor, pelo fato de Deus não poder ouvir suas palavras. Jesus, aquele que nunca pecou, agora estava separado do Pai, por causa do meu e do seu pecado. Isso se chama morte espiritual, que até então Jesus não sabia oque era. Quando o homem peca, o seu espírito morre. O preço que Jesus pagou não foi somente de sangue, dor ou deboche, mas também foi o preço de morte espiritual, e essa é a pior parte do pecado, ter de se afastar do Criador. E o único motivo para tudo isso acontecer era somente um: para que fossemos salvos.

Conta a história, que certo homem tinha um pé de limão em seu quintal. Porém esse homem não queria que os limões crescessem, então de tempo em tempo saia a cortar todos os limões do pé, afim de que os limões não crescessem. Quanto tempo será que esse homem gastou cortando aqueles limões? Horas, dias e anos, cortando limão por limão, quando na verdade ele deveria ter arrancado a árvore toda pela raiz. Não adianta querermos arrancar pecado a pecado de nossas vidas, se não tirarmos toda a raiz de nossas vidas. Sim, a raiz do pecado é a vida na carne.

Em Gálatas 5:19-21, vemos por escrito as obras da carne. Todo homem que se afasta de Deus, se inclina para as obras da carne, isso é de nossa natureza pecaminosa. Na verdade, nós não pecamos por roubar, ter inveja ou ainda adulterar. Na verdade, nós pecamos por vivermos na carne. O pecado é viver na carne, o resto são apenas as conseqüências por se viver na carne. O ser humano não é pecador porque mata ou prostitui, o ser humano mata e prostitui porque é pecador, pois vive na lei da carne. Em todo seu tempo de vida aqui na terra, Jesus não pecou sequer uma vez, porque Ele vivia uma vida no Espírito. Nós nos vigiamos para não pecar, quando deveríamos apenas viver uma vida no Espírito. Portanto, não se preocupe com o pecado, se preocupe sim com a raiz do pecado, que é a vida na carne.

Então Jesus estava ali na cruz, com todo pecado sobre si, e longe da presença do Pai. Hoje não precisamos mais passar por isso que Jesus passou, se vendo longe do Pai. Hoje podemos pedir perdão com todo nosso coração, e o arrependimento nos lava com o sangue de Jesus, e logo temos livre acesso à presença do Deus vivo!

Se for possível definir um pecador, podemos definir em duas formas: o pecador bonzinho, e o pecador relaxado. O pecador bonzinho, é aquele que nunca roubou, nunca matou e muito menos mentiu. É aquele tipo de pessoa que todos olham e elogiam, reconhecendo ser uma pessoa admirável, uma pessoa que com toda certeza “vai para o céu”. Um pecador bonzinho que vemos na bíblia é o jovem rico, que vemos em Lucas 18:18-25. Do outro lado temos o pecador relaxado, que é aquele que bate na esposa e nos filhos, bebe todo tipo de bebida e nunca honra os seus compromissos. Todos dizem: “esse cara não merece viver, esse vai pagar tudo oque fez de ruim.”. Um típico pecador relaxado que vemos na bíblia é a Maria Madalena, que teve uma vida desregrada, a ponto de quase morrer apedrejada. Veja em João 8:1-11. Mas afinal, qual desses dois tipos de pecadores precisa e pode ser salvo? A resposta é: os dois. Essa reflexão é para nos alertar, que não existe pecado pequeno ou pecado grande, o que existe é o pecado. E sem exceção, todos nós somos pecadores, conforme diz a palavra em Romanos 3:23. Primeiro é preciso reconhecer ser pecador, e em seguida, aceitar o sacrifício de Jesus na cruz por nós.

O que me separa da Deus? O pecado de viver na carne é o que me afasta de Deus.

Você quer de fato ser um bom cristão? Então reconheça que você precisa do Senhor. Aprenda a reconhecer os seus pecados, a reconhecer suas fraquezas. Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste? Essa frase tem estado presente em sua vida hoje? Jesus já passou por isso, não precisamos passar novamente. Decida-se estar perto do Pai. Decida-se viver uma vida guiada pelo Espírito Santo de Deus. Decida-se hoje e agora, a viver uma vida com Deus.

2 ideias sobre “O que me Separa de Deus?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>