A Síndrome do Gafanhoto

Pr. Almir de Freitas

Texto Base: Números 13:31-33

A palavra de Deus narra na passagem de Números, que quando o povo de Israel estava a ponto de conquistar a terra prometida, Moisés enviou homens para espiar a terra antes de entrar nela com todo o povo.

Esses homens que foram espiar a Canaã viram uma terra de gigantes, onde certamente haveria dificuldades diversas para sua conquista. Isso causou medo, e eles passaram a se enxergar como gafanhotos, pequenos e sem forças diante daquela da situação, chegando a dizer que os gigantes da terra também os viam assim.

Porém, sabemos que um espião é alguém que não deve ser visto, que não se mostra para o inimigo, observa sem ser notado.  Sendo assim, podemos pensar que aqueles espias nem se quer foram vistos pelos gigantes, mas eles mesmos se viram como gafanhotos atemorizados pela circunstância.

Esse é o desejo de satanás. Que nós nos enxerguemos pequenos, como gafanhotos, sem força, incapazes de lutar.

Por vezes olhamos para uma circunstância onde há dificuldades, barreiras a serem ultrapassadas e não temos coragem diante do problema por nos achamos pequenos demais, nos deixando enganar pelas mentiras do diabo.

Precisamos parar e pensar: como temos nos visto? Será que tenho vivido com síndrome do gafanhoto? Achando-me pequeno e incapaz?

Quando nos vemos dessa maneira, como derrotados, deixamos de assumir um presente que o Senhor nos dá que é de andar como vencedor Nele, sendo filho de Deus.

Nosso medo e percepção de pequenez nos leva facilmente impedir que o projeto de Deus se realize em nossas vidas.

Diante de uma luta não podemos dar ouvidos ao diabo que só quer nos atemorizar. Quando estamos com medo não lutamos como deveríamos, já entramos derrotados.

O diabo sabe que ele já está derrotado, mas ele quer nos convencer que ele é mais forte, enquanto nós somos na verdade bem maiores se estivermos em Cristo.

O povo de Israel sentiu medo de atravessar o Jordão para conquistar a Terra, e em função disso atrasou o cumprimento da promessa de Deus para eles.

Também nós, corremos o risco de atrasar e até perder realizações de promessas de Deus em nossas vidas se o medo nos dominar e deixarmos que ele assuma a direção de tudo.

Por vezes também somos nós mesmos os culpados por sermos diminuídos. Nossa própria mente é quem faz isso, ficamos com nossa baixa autoestima e somos impedidos de lutar duvidando de nossa identidade de mais que vencedores em Cristo.

Algumas coisas que nos deixam com dúvidas em relação a nossa identidade de vencedores são:

  • Autoimagem: é a maneira como nos mesmo nos vemos.

Essa autoimagem pode ser distorcida quando nos preocupamos excessivamente com o que vemos diante do espelho. Cobramos-nos demais, nos sentimos inferiores, feios e sem qualidades externas.

  •  Autoestima: é a maneira como vemos nosso valor próprio, a visão e aceitação interna que temos a nosso respeito.

A autoestima é uma identidade boa, desde que não seja exagerada.
A baixa autoestima é uma imagem destorcida e desvalorizada, isso caracteriza a síndrome do gafanhoto. O que pode nos travar em trabalho, relacionamento, estudos e em todas as áreas de nossas vidas.

Não podemos aceitar em nossas vidas viver com baixa autoestima!

O desejo do diabo é que eu me veja como alguém insignificante, sem valor. Mas o Senhor Jesus nos deu o valor de seu próprio sangue precioso e precisamos tomar posse dessa verdade!

Somos imperfeitos, mas o Senhor nos usa mesmo com nossas limitações, basta estarmos disponíveis e jamais aceirar uma imagem destorcida a nosso respeito.

Na bíblia vemos o exemplo de 3 pessoas que a baixa autoestima quase os derrubou:

1) Moisés (Êxodo 3:11; 4:13-14)

Deus chama Moisés e ele responde revelando sua baixa autoestima. Não percebeu que já estava pronto para a próxima etapa.

Ele já havia sido treinado em muitas áreas de sua vida, e aquele era o momento de ele começar a lutar.

Muitas vezes não entendemos algumas fases que passamos, mas precisamos crer que o Senhor esta nos preparando para algo maior.

Ele tem um tempo de preparação para cada um de nós!

Em alguns momentos colocamos “poréns” como Moisés tentou fazer apresentando nossas limitações e querendo que outra faça que o Senhor deseja que nós façamos. Isso nos distancia da realização do projeto de Deus.

Não cremos que Deus sempre tem mais para nós?

Nunca é tarde para começarmos cumprir o propósito de Deus!

2) Gideão (Juízes 6:11-14)

Os Midianitas eram terríveis para o povo de Israel, e Israel estava vivendo um tempo de derrota.

Gideão estava longe batendo o trigo num local subterrâneo, escondido por causa dos seus inimigos, os Midianitas.

O anjo do Senhor veio falar com Gideão, e nesse diálogo, ficou clara a baixa autoestima em que ele se encontrava. Fraco, descrente da sua força e do poder de Deus.

O projeto do diabo é sempre nos resistir, ele nunca quer que nós avancemos.
Sempre haverá resistência do maligno, mas não somos como gafanhotos, somos gigantes em Jesus Cristo e podemos passar por cima das dificuldades.

Precisamos saber quem somos em Deus, o diabo pode fazer barulho, mas o que importa é o que está escrito na bíblia a nosso respeito.

3) Jeremias (Jeremias 1:4-10)

Deus chamou Jeremias para ser representante dele e ele respondeu dizendo ser muito menino, não sabia do que Deus podia fazer por meio dele.

Recebeu autoridade. Não importando sua capacidade, idade ou condição, quando Deus chama alguém é Ele quem capacita. Assim também o Senhor faz conosco nesses dias.

Deus quer nos usar, é Ele quem faz, precisamos estar disponíveis e confiantes que Nele, tudo podemos!

Pesquisas apontam que aproximadamente 95% da população mundial perdem oportunidades por causa da baixa autoestima.

Depois que Cristo entra em nossas vidas, toda baixa autoestima tem que cair por terra, porque é Ele quem nos faz mais do que vencedor.

Temos que buscar entusiasmo e força na palavra de Deus. Somos vencedores!

5 coisas que nos levam à baixa autoestima:

1) Feridas na alma – o diabo desde nossa concepção trabalha para marcar nossa alma, com rótulos, palavras que visam nos deixar para baixo. Geralmente são situações que acontecem na infância e trazem problemas por toda a vida se não forem curadas.

2) Relacionamentos que marcam – críticas, correções exageradas, agressões, atos e palavras que envergonham, expõem diante dos outros.

Podem ocorrer por meio de professores, pais, irmãos, amigos, familiares que podem ser instrumentos para nos influenciar e nos deixar com autoestima baixa.

Não podemos aceitar o que os homens falam negativamente em nossas vidas! E também não podemos ser instrumento do diabo para marcar negativamente outras pessoas!

Cuide das suas relações com zelo. Seja servo, carinhoso. Elogie, passe tempo de qualidade com as pessoas. Se relacione para o bem!

No caso de filhos, cuidado! Nunca superproteja, permita e ajude para que seus filhos não se tornem pessoas que se acham o máximo e saiba viver com os pés no chão.

3) Experiências passadas – mesmo que não tivemos sucesso no passados, devemos prosseguir, pois Deus faz nova todas as coisas a cada manha.

Não é por causa de uma experiência frustrada que devemos desistir do projeto de Deus para nós.

Tentar novamente, persistir é característica de vencedor! Quando desistimos, nos tornamos derrotados permanentes.

4) A falta de perdão de Deus – O pecado

O pecado traz culpa, e sem o perdão de Deus somos derrotados.

Precisamos sempre viver em arrependimento, para que o peso do pecado não nos derrube.

5) Influência no meio em que vivemos

Não podemos nos cobrar para nos encaixar ou sermos aceitos e aceitar as pessoas em qualquer lugar.

Sabemos quem somos e não precisamos mudar independente do lugar em que estivermos.

Seja alguém com uma autoestima boa! Todo mundo gosta de estar perto de pessoas que estão bem!
A síndrome do gafanhoto é terrível para a vida do cristão e pode trazer efeitos como:

  • Medo, ansiedade, mágoa, rancor, tristeza, depressão, impotência sexual, frigidez, egoísmo, vergonha, desânimo entre muitos outros.

Deus não nos chamou para viver com a síndrome do gafanhoto, Ele quer que sejamos vencedores.

Quando nos sentirmos assim, precisamos orar, repreender a satanás com a autoridade de Jesus Cristo e voltar a assumir a posição que Ele nos colocou por meio de Sua vitória na cruz! A Posição de Vencedor!

Uma ideia sobre “A Síndrome do Gafanhoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>