A Responsabilidade dos Salvos em Cristo

Preletor: Pastor Almir de Freitas

Texto Base: Jó 1:1-5

Com certa frequência em nosso dia-a-dia ouvimos a expressão “filhinho de papai”. Usamos tal expressão para definir aqueles filhos que não se preocupam com nada: não trabalham, não estudam, não estão nem ai para as leis, entre outras coisas mais. São aqueles filhos que sabem que independente da enrascada que se meterem o seu “papai” irá resolver tudo e acabará como se nada tivesse acontecido. Também temos ouvido muito falar sobre graça, e de fato devemos viver sobre a graça de Deus, porém, alguns têm se aproveitado da graça para viverem como “filhinhos de papai do céu”. Somos filhos? Claro que somos, porém alguns filhos estão vivendo a vida relaxadamente, pois sabem que a graça de Deus irá resgata-los de qualquer situação. E de fato a graça nos resgata, mas não é por isso que devo viver perigosamente frente a frente com o pecado, sem nenhum pudor em errar. Note que todos nós pecamos e erramos, mas tenho lutado contra isso, ou tenho sido um “filhinho de papai do céu”? Que sabe que vai errar mas não está nem ai, afinal o meu Papai pode me resgatar! Se tenho tido uma vida relaxada, desregrada e perigosa, está na hora de reavaliar alguns pontos.

Muitos cristãos tem a salvação na eternidade, mas não teêm sido salvos aqui na terra, vivem correndo o risco de serem uma presa fácil para o diabo. Não podemos viver uma vida de angústia e tristeza, doentes na alma. A pessoa é convertida mas é cheia de tristezas e incertezas, é horrível andar com pessoas assim, onde tudo sempre está ruim, tudo é motivo de tristeza, ninguém gosta de andar com gente assim. Essas pessoas têm vida à disposição, mas vivem uma vida de morte, são praticamente “crentes zumbis”. Não fomos chamados para ficarmos pra baixo, mas pra cima, não se contente com miséria. Nós somos o sal dessa terra, e o sal serve para dar sabor, então dê sabor por onde quer que você vá, temos o poder de transformar qualquer ambiente, pela vida de Deus que há dentro de nós.

Sobre esse assunto, podemos aprender com a vida de Jó, como vemos no texto base dessa ministração, em Jó 1:1-5. Podemos achar nesse texto, três princípios básicos que todo cristão deve seguir como modelo em sua vida.

1) Jó desviava-se do mal; (Jó 1:1)

Um grande erro que é muito fácil de se cometer é não se desviar do mal. Desviar-se do mal é mudar de caminho quando se sabe que que ali pode-se arrumar confusão; É mudar de canal quando o conteúdo exibido é inadequado; É fechar aquele pop-up que abriu na internet que vai te fazer pecar.

Em Salmos 1:1-2, lemos algo que diz claramente sobre se desviar do mal. O “crente zumbi” adora ficar nas rodinhas de fofoca e piada suja por exemplo, pois o seu prazer é gastar tempo naquilo que não trará crescimento em sua vida.

Precisamos aprender a identificar quem nós somos em Cristo, colocar certas barreiras para não nos deparamos com o mal. Mas também precisamos entender que se desviar do mal não é ser um extra-terrestre e não sair mais de casa, não é isso, mas é necessário ter bom senso, sem me afastar da sociedade. Precisamos sermos salvos, se desviando do mal com inteligência e coerência.

2)Jó zelava pela alegria de sua salvação;

Como lemos no texto base, Jó era alguém muito rico, porém ele se preocupava com a sua integridade, ele era alguém grato à Deus, e sabia que tudo quanto tinha era graças a Deus. Não é difícil vermos pessoas ricas que menosprezam a Deus, por serem ricos, acham que não precisam de mais nada, o dinheiro é a sua fortaleza. Jó não era assim, ele era alguém grato à Deus.

Quer ter alegria na sua salvação aqui na terra? Faça como Jó, e quando estiver no meio da tribulação, no meio da tempestade, diga a Deus que o ama e louve ao Senhor. È muito fácil zelar por isso quando está tudo certo, difícil mesmo é nas dificuldades, quando nada está dando certo. Mas na facilidade Jó também zelava para que tudo estivesse bem. No texto base lemos que Jó oferecia sacrifícios pela vida de seus filhos, mesmo sem saber se eles tinham feito algo de errado. Jó fazia um check-list na vida dele e de sua família, e nós devemos fazer também, para ver se alguma coisa está ocorrendo de errado.

É necessário checar toda a nossa vida, para zelar, garantir que nada está fora de seu lugar. Coisas do tipo: Como está o meu vocabulário? E o meu Facebook? Com quem ando trocando mensagens de texto pelo celular? Como é o meu relacionamento com o pessoal do trabalho ou da faculdade? Faça esse check-list, e avalie o que está certo, e o que pode vir a ficar ou já está errado.

Com que tipo de gente eu tenho andado? Vemos no texto de I Reis 5, a vida do Rei Hirão, que era amigo do Rei Davi. Davi fez um amigo de caráter, alguém que ele podia confiar, e isso se confirma nesse texto, pois quando Salomão assumiu o reinado no lugar de Davi, Hirão se disponibilizou para ajudar à Salomão, se prontificou a dar suporte à ele. Esse é o tipo de amigo que devemos cultivar, faça um check-list de suas amizades também.

Como eu sou conhecido pelas pessoas? A sabedoria de Salomão se espalhou pela terra, de modo que todos o conheciam. Vemos no texto de I Reis 10, que a Rainha de Sabá veio de longe para comprovar tudo aquilo que ela tinha ouvido sobre Salomão, e ela mesma testifica que tudo que ela ouviu era verdade. O que as pessoas têm ouvido sobre nós? Zele pela alegria da sua salvação!

3) Jó buscava fechar todas as portas para o inimigo. (Jó 1:5)

Na minha vida, onde tenho deixado portas e janelas abertas para o inimigo entrar? É preciso ficar atento quanto a isso. Diz a palavra que Jó ia sozinho fazer holocaustos pela vida de seus filhos. Moisés quando subiu ao monte ele subiu sozinho. Jesus quando ia orar, ia sozinho também. A bíblia diz em Mateus 6:6 para no secreto nós orarmos. Podemos concluir então, que existem certas coisas que devemos fazer sozinhos, pois só diz respeito a nós mesmos, certas coisas somente você pode fazer!

Qual porta, ou qual janela pode estar aberta em minha vida? Isso é coisa muito séria. Um exemplo é que através de um filme pode entrar na minha vida um espírito de malícia, sensualidade ou vulgaridade. Algo que parece tão sem malícia, tão “nada haver”, pode sim ser uma brecha para o diabo entrar na minha vida. E tantos outros exemplos, espíritos de miséria, de luxúria, de indisciplina, e tantos outros espíritos imundos podem sim entrar em nossas vidas através de brechas, de portas e janelas que nós mesmos abrimos “sem perceber”.

O único caminho para fecharmos todas as brechas, todas as portas e janelas é orando à Deus, é se entregando diante de Deus como Jó fazia. Hoje não precisamos mais fazer o sacrifício, pois Jesus já se fez sacrifício por nós naquela cruz, nosso papel hoje é orar e se arrepender diante de Deus, para que Ele feche todas as brechas abertas em nossa vida.

Podemos concluir então que todo cristão tem suas responsabilidades diante de Deus e também dos homens. Você, salvo em Cristo Jesus, não seja um simples “filhinho do papai do céu”, mas seja um filho do Deus Vivo, saiba tomar o seu lugar como cristão aqui nessa terra, e assim viver o reino dos céus aqui na terra, a ter uma vida de qualidade, pois é isso que o Senhor tem para nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>