A Consagração dos Filhos

Pr. Almir de Freitas 

Texto Base: 1 Sm. 1:27-28

Assim como aconteceu com Jesus, é nosso costume apresentarmos e consagrarmos as Crianças ao Senhor, mas será que os pais sabem o que significa tal ato? Será que o ato de consagrar os filhos, eximem a responsabilidade dos pais como sacerdotes dos filhos ou a consagração é apenas o primeiro passo de uma caminhada de responsabilidade pela educação e sacerdócio em relação aos filhos?

O que é a Consagração dos Filhos?

A consagração dos filhos é algo bíblico, Jesus não foi batizado, Ele foi consagrado, pois o batismo é um ato público que está diretamente relacionado com o arrependimento e a consciência da necessidade de arrepender-se, logo uma criança não pode ter essa noção além do que elas em sua fase de inocência não tem do que se arrepender. Portanto seguindo o exemplo de Jesus, as crianças são consagradas e apresentadas ao Senhor.

1.    A consagração de filhos deve ser resultado da consagração dos pais:

Em Gálatas 6:7-8 vemos que tudo quanto semeamos isso também colheremos, seja o bem ou o mal, tudo que semearmos nós colheremos. A consagração dos filhos deve ser resultado da consagração dos pais, pois as crianças aprendem com o exemplo dos pais e um pai pode até consagrar os seus filhos, mas se não tomar a postura de se consagrar também diante de Deus, fatalmente falhará em ser um modelo exemplar para o caráter da criança e a colheita da falta de consagração dos pais começa a ficar claro na adolescência. As crianças aprendem muitas coisas através da visualização e ao passo que elas veem a consagração dos pais, há uma grande possibilidade de ela aprender e buscar mais sobre Deus.

2.    Consagração de filhos é por causa do compromisso dos pais de ensinar os filhos o caminho do Senhor.

A bíblia orienta os pais a ensinar a criança no caminho em que se deve andar e quando envelhecer (ou crescer) não se desviará dele (Pv. 22:6). As crianças de fato levam os ensinamentos que lhes foram passado na infância e é nesse período que o seu caráter é formado, portanto ao consagrar os filhos, os pais também assumem a responsabilidade de ensinar a criança nos caminhos de Deus e de educa-la para que ela se torne um adulto bem sucedido.

3.    A consagração é uma aliança de amar os filhos incondicionalmente para que assim possam conhecer o amor de Deus.

Os filhos são moldados pelas atitudes dos pais, eles são o seu espelho tudo que eles verem você fazendo certamente farão também, mas bons pais ajudam os filhos a conhecerem a Deus demonstrando amor,  paciência, disciplina, constância e fidelidade. A educação que o pai tem e consequentemente passa para os filhos, determinará o limite deles portanto tome uma decisão hoje de crescer em todos os aspectos para que possa exercer com êxito o papel dos pais.

As crianças aprendem muito com o exemplo das pessoas que o cercam, principalmente os pais e elas são capazes de julgar se há coerência entre a palavra e as atitudes dos pais. Peça a Deus e tome um posicionamento de ser um pai constante e com atitudes coerentes para que os seus filhos sejam crianças, adolescentes ou adultos coerentes. Quando os pais são imprevisíveis geram filhos neuróticos, portanto os filhos precisam saber que as regras não mudam, que a constância e coerência fazem parte do sacerdócio dos pais.

a.     Nunca permita o desrespeito;

Pais que não têm o respeito dos filhos, não tem nada. Estudos relatam que es até aos 6 anos os pais não conquistaram o respeito do filho, dificilmente conquistarão depois.

b.    O melhor momento de comunicar princípios é depois da disciplina;

Geralmente depois da disciplina os filhos recorrem aos pais, então é o momento de dar carinho e explicar o motivo da correção.

c.     Estabeleça um equilíbrio entre amor e disciplina;

O carinho e o amor devem ser constante e as disciplinas devem ser utilizadas sempre que houver necessidade.

d.    Estabeleça limites;

Os limites terão papel fundamental na vida das crianças, são os limites que demonstrarão para as crianças que os sentimentos delas não são a única verdade, eles ensinam que as crianças não podem fazer tudo que querem, eles mostram que apesar das crianças estarem se locomovendo ou fazendo algumas coisas sem a ajuda dos pais, ainda assim elas não são independentes.

Com os limites as crianças são ensinadas que a vida não e igual para todos e eles não podem ter tudo que querem.

A falta de limites resulta em adultos invejosos.

Por que consagramos os filhos?

Em I Sm. 1:27-28 podemos observar a história de Ana, que clamou durante muitos anos por um filho, entretanto ela era estéril. Então ela fez um voto ao Senhor que se Deus curasse a sua esterilidade, ela consagraria o primogênito ao sacerdócio e de fato ela cumpriu o voto e entregou o menino Samuel para que o sacerdote Eli o treinasse e foi Samuel quem ungiu o primeiro rei de Israel. A consagração de filhos é algo sério.

a.      Porque Deus recebe aquilo que lhe oferecemos e entregamos, há poder nessa consagração;

Quando crianças são consagradas à entidades de algumas religiões, tais entidades se apropriam e recebem, assim quando as crianças são consagradas ao Senhor, Ele recebe e cuida dessas crianças.

b.    Porque cremos no poder da bênção;

A benção é algo importante, Jesus abençoou as crianças e repreendeu quando os discípulos tentaram impedir que elas se aproximassem (Lc. 18:15-17). Se a benção não fosse algo importante Jesus não teria repreendido os seus discípulos.

c.     Porque cremos no poder da aliança;

Todos aqueles que nasceram de novo estão debaixo da aliança de Deus. A consagração dos filhos é uma forma de colocá-los publicamente debaixo da mesma aliança.

d.    Porque reconhecemos que nossos filhos pertencem a Deus;

Herança do SENHOR são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão. Como flechas na mão do guerreiro, assim os filhos da mocidade. Feliz o homem que enche deles a sua aljava; não será envergonhado, quando pleitear com os inimigos à porta. Sl. 127:3-5

e.     Porque cremos que as maldições hereditárias são quebradas;

Todas as maldições de nossos antepassados serão quebradas na vida de nossos filhos.

Uma pesquisa foi realizada com relação à descendência de Max Jukes e Jonathan Edwards que viveram entre 1700 e 1760. Para saber mais sobre o impressionante resultado dessa pesquisa Clique aqui.

Que a partir de hoje possamos tomar novos posicionamentos nas nossas vidas de pais e pais espirituais, para que a consagração de filhos não seja simplesmente um ato religioso, mas sim um compromisso entre os pais, os filhos e Deus de que todos irão se empenhar para cumprir os propósitos do Senhor como uma família abençoada.

Perguntas para Compartilhar

1)   Pais espirituais consagram e entregam seus filhos espirituais, como você tem respondido às responsabilidades da consagração?

2)   Os limites ajudam a criança a crescer em um ambiente saudável, na vida espiritual como você tem encarado os limites de Deus para você?

3)   Você quer ter uma descendência como a de Max Jukes ou como a de Jonathan Edwards? O que você tem feito para isso?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>