Arquivo mensais:fevereiro 2015

Você tem fome do que? (Parte 2)

Pr. Vagner Oliveira

Clique aqui e relembre a palavra “Você tem fome do que? (Parte 1)

Êxodo 16:1-3

Deus permite que as pressões venham sobre as nossas vidas, para que ELE possa nos forjar e alinhar, afim de que possamos cumprir plenamente o propósito de Deus.

José foi ao Egito através do propósito de Deus, para salvar o povo de uma grande fome em toda a Terra, após ser salvo da fome, o povo de Israel permaneceu no Egito e quando José morreu o povo se tornou escravo de Faraó, então Deus levantou Moisés nascido de pais hebreus, mas criado nos palácios do Egito, para resgatar o povo.

O povo pelo fato de ter vivido muito tempo como escravo,  já estavam com uma mentalidade de escravos, não conseguiam pensar como homens livres, então Deus precisou fazer grandes coisas para libertar o povo dessa situação, para isso Deus usou pelo menos duas ferramentas:

a)    Moisés (Líder): Moisés conhecia o Egito, conhecia o Deserto, mas não tinha mentalidade de escravo;

b)   Deserto: é lugar de alta pressão, onde o povo precisava depender totalmente de Deus para alcançar a terra prometida.

Moisés começou a cuidar do povo e Deus começou a mudar a mentalidade de escravo, podemos ver alguns princípios que Deus ordenou ao povo:

1)   Achegaram-se à presença de Deus: O que define a Identidade de um Cristão é a Intimidade com Deus, quanto mais você caminha com Deus, mais você se parece com ELE, quanto mais distante você está de Deus, mais parecido com o mundo você fica. Somente quando você se aproxima da presença de Deus é que você é usado, somente na intimidade com Deus você vai encontrar a plena Satisfação em Cristo.  Dentro da Arca da Aliança, havia escondido o maná,   (Ap. 2:17) isso representa que para nos alimentarmos, precisamos viver na presença de Deus e ter intimidade. O que muda o seu Caráter é estar no Centro da Presença de Deus. Ninguém sobrevive vendo os outros se alimentar, você também precisa de Alimento. Está acabando o tempo de vivermos baseados em Experiências dos outros, cada um de nós vamos ter nossas próprias Experiências com Deus.

2)   Precisavam Colher o Pão pela Manhã:  O povo colhia o pão pela manhã e se alimentava durante o dia inteiro, quando buscamos a Deus pela manhã, nós o queremos durante todo o dia, queremos orar de manhã,  de tarde e de noite, mas quando deixamos para buscar a Deus somente no fim do dia, certamente o mundo nos encherá de coisas, distrações e afazeres e nós perderemos momentos com Deus. Sabe o por que não oramos? Simplesmente porque não oramos! É simples quanto mais oramos, mais fome por Deus nós teremos. Comece a buscar a profundidade, vá além dia após dia. Pare de viver  com a porção da semana passada, pare de viver com a porção de ontem, o Senhor tem uma nova porção para você a cada Manhã, levante-se cedo e busque a sua porção todos os dias.

3)    Precisavam Lembrar do que Deus já fez nas nossas vidas: Moisés mandou o povo olhar para o Deserto, e se lembrarem do que Deus já tinha feito por eles,  o povo vivia murmurando constantemente pois se esqueciam do que Deus havia feito. A nossa tendência é reclamar e exigir os direitos que achamos ter, tudo isso porque nos esquecemos do que Deus já fez por nós, nos esquecemos da escravidão que vivíamos e do que Deus fez para nos libertar, nos tirou de um lamaçal de pecados, de uma vida cheia de dor e sofrimento, ELE nos deu uma nova vida, uma nova história. Definitivamente não há motivos para murmurarmos contra Deus. Nós nos esquecemos rapidamente do que Deus já fez e mantemos o foco naquilo que queremos que Deus faça. Pare agora, olhe para o deserto e veja de onde Deus te tirou. Seja Grato ao Senhor, exercite a sua Gratidão.

É tempo de nos achegarmos a Deus, levantar pelas madrugadas para buscar a sua face e viver uma vida de gratidão, olhando para o que Deus já fez por nós, sabendo que não somos merecedores, mas pela Sua  graça hoje somos livres de toda a escravidão, de toda mentalidade de escravo e vivemos hoje como Filhos que amam a Deus o nosso Pai.

Quando estamos no Lugar Correto

Pr. Ricardo Guimarães – Videira/RJ

Texto Base: João 20:11-16

Existe um lugar onde Deus nos plantou, porém muitos cristãos hoje não estão vivendo as coisas que gostariam, ou tudo esta ocorrendo ao contrário do planejado, porém o fato de muitas vezes as coisas não darem certo não significa que estamos no lugar errado.

Floresça onde você está plantado!

Existem alguns princípios que podemos aprender quando estamos no lugar certo, onde Deus nos colocou:

- Quando estamos no lugar certo, o fim pode ser um novo começo.

Quando Jesus morreu, os discípulos se viram numa terrível situação, pois toda aquela mensagem que eles haviam escutado e até mesmo pregado parecia estar se perdendo, o Mestre havia morrido. Era o fim. Mas Cristo ressuscitou, e junto com Ele uma nova oportunidade para aqueles homens.

Deus também nos dá uma nova oportunidade de recomeçar, mas precisamos estar no lugar onde o Senhor designou.

- Quando estamos no lugar certo não devemos nos preocupar com o que não podemos fazer.

Quando as mulheres foram levar as especiarias até o túmulo de Jesus, se sentiram preocupadas com quem removeria a pedra do sepulcro para que elas pudessem entrar. Muitas vezes também somos assim, nos preocupamos com as coisas que não podemos fazer, sofremos por antecipação, mas precisamos pensar nas coisas que Deus nos mandou fazer, pois quando Ele nos manda fazer é porque sabe que somos capazes, aquilo que não podemos fazer Deus se encarrega de resolver por nós, pois quando aquelas mulheres chegaram no túmulo, a pedra já estava removida e um anjo estava assentado SOBRE  a pedra, isso nos mostra que Deus está SOBRE as circunstâncias ou os problemas da nossa vida.

DEUS ESTÁ ACIMA DAS DIFICULDADES.

- Quando estamos no lugar certo devemos esperar até que o Senhor se manifeste.

Em João 20:11 vemos que todas as outras mulheres voltaram mas Maria Madalena permaneceu no túmulo. Pelo fato de ela não ter saído do lugar foi a única que conversou com Jesus após sua ressureição, todas as outras tiveram essa oportunidade, mas decidiram sair do lugar.

Não perca as oportunidades que o Senhor te dá.

João também foi alguém que estava no lugar certo, na hora certa, no momento da crucificação foi o único que permaneceu lá, talvez por conta disso foi o único que recebeu a revelação do Apocalipse.

As vezes Jesus está tão presente e talvez não conseguimos perceber isto, assim como Maria Madalena não percebeu de imediato. De início ela achou que havia acontecido uma tragédia: “Roubaram o corpo do Senhor”, e muitas vezes vivemos dessa forma, olhamos para os problemas e dificuldades como uma tragédia na nossa vida, achamos que estamos sozinhos que tudo está fora de controle, as adversidades muitas vezes tem o poder de embaçar nossa visão, mas são nesses momentos que Cristo nos chama pelo nome assim como fez com Maria.

“O sepulcro está vazio, mas não saia porque Cristo está por perto.”

Permaneça fiel, não deixe que circunstâncias, por mais difíceis que sejam, roubem as oportunidades que Cristo tem te dado. Fique firme, permita-se ser usado por Deus, e deixe que Ele te chame pelo seu nome.

Você Tem Fome Do Que? (Parte 1)

Pr. Vagner Oliveira 

Hoje em dia, tudo o que se for fazer é possível encontrar inúmeras opções, todos os gostos estão bem supridos. Estilos musicais, roupas, acessórios, costumes, religiões, enfim, muitas opções nós temos para escolher. Mas a pergunta é: você tem fome do que? Do que você tem buscado se alimentar, das inúmeras opções que o mundo tem a oferecer, ou do Pão da Vida que é Jesus? É justamente sobre isso que queremos falar nessa mensagem.

Podemos ver no texto de Êxodo 16:1-4, quando o povo de Israel já havia sido retirado das mãos do Faraó no Egito, onde eles haviam provado de inúmeras experiências com Deus, viram o Egito ser atingido pelas dez pragas, e depois o mar se abrir diante deles, e também viram o mar se fechar, aniquilando com a vida de faraó e seu exército. Aquele povo viu as águas amargas se tornarem doce e pura para se beber. Porém apenas alguns dias depois, o povo já tinha se esquecido de tudo aquilo que Deus fez por eles. Diante da falta de comida, a solução que eles acharam foi reclamar de sua fome, ao invés de pedir mais uma vez a ajuda do Deus que os livrou da mão de faraó. E o povo dizia:

“Quem dera tivéssemos morrido por mão do Senhor na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne, quando comíamos pão até fartar! Porque nos tendes trazido a este deserto, para matardes de fome a toda esta multidão.” Êxodo 16:3

Essa foi uma geração de coração dura, e por conta disso, eles não entraram na terra prometida, somente os filhos deles e seus descendentes é que entraram em Canaã, a terra que Deus separou para eles. Todo esse descontentamento e murmuração por parte do povo, naquela época e também nos dias atuais, só se dá por um motivo: a falta do Pão da Vida. Não estamos falando de um pão qualquer que compramos ao ir na padaria, mas do próprio Senhor Jesus Cristo, o verdadeiro Pão da Vida, por isso a pergunta: você tem fome de que?

No texto de João 6:31-35, vemos Jesus falando da simbologia do maná, o pão que caia do céu para alimentar o povo de Israel. Jesus aqui se revela como sendo o verdadeiro Pão da Vida, e afirma:

“Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede”. João 6:35

Se você comer do Pão da Vida que é Jesus, você nunca mais terá fome, mas hoje, do que você tem tido fome? Todo aquele que não tem do Pão da Vida, acaba sofrendo de alguns sintomas doentios da alma. Vamos analisar alguns pontos que se pode observar da vida desse povo de coração duro que estava no deserto, mas que pode ser encontrado também hoje em nosso meio, devido a falta do Pão da Vida nas nossas vidas.

1)     A falta do Pão da Vida nos torna incrédulos

A falta do Pão a Vida nos torna incrédulos, que por usa vez, atrai a murmuração para nossa vida. Esse sem dúvidas é um sintoma maligno. Aquele povo reclamava porque não tinha vida e relacionamento com Deus. A murmuração produz quebra de aliança, e vemos isso quando o povo percebe a falta de comida, e então cada um deles começa a reclamar do seu próprio problema, que era a fome, e daí partiu a reclamação e incredulidade, de não crer que Deus poderia fazer algo por eles.

Aquele povo não eram discípulos, eles eram multidão, e até o momento em que não se vê problema e que tudo está bem, a multidão fica quieta e feliz, mas ao menor sinal de perigo, a multidão se rebela. Não podemos nos enganar com a multidão, a mesma que cantou para Jesus em Mateus 21:09 quando Ele entrava em Jerusalém, foi a que o condenou em Mateus 27:21-22. Multidão não tem qualquer compromisso ou transparência, pouco importa a direção que a multidão vai tomar, para ela importa apenas “ver algum resultado” que pareça bom aos olhos, algum resultado de imediato.

Aquele povo murmurava contra Deus e também contra Moisés, mas mal sabiam eles que toda liderança é instituída por Deus, não importa se é a liderança da Igreja, ou se é a liderança de um país, conforme vemos em Romanos 13:1-2. Quando desonramos alguma liderança ou autoridade sobre nossas vidas, desonramos na verdade ao próprio Deus. Porém, por mais que eu deva honrar a minha liderança, eu não preciso depender dela para avançar em Deus! Jesus, o Pão da Vida, morreu em nosso lugar, e o véu que nos separava de Deus foi rasgado de cima a baixo, ou seja, o véu foi rasgado de Deus para o homem, e agora o Caminho que nos leva até Deus está livre, Jesus é o intermediador entre Deus e nós, não precisamos esperar por mais ninguém para termos um relacionamento com o Pai.

2)     A falta do Pão da Vida nos faz culpar as pessoas

Quais tem sido as suas responsabilidades diante de Deus? Se encha do Pão da Vida, e assuma cada uma delas, no sucesso ou no momentâneo fracasso, você é responsável por aquilo que Deus te confiou, não tente jogar a culpa em alguém, daquilo que você mesmo é responsável, se você tem feito isso, tudo indica que tem passado fome, e não tem se alimentado do Pão da Vida. Pense nisso, e auto avalie-se, pois ainda que você esteja errando, só quem pode resolver para você é Jesus, nossa esperança está no Senhor! (Colossenses 1:27)

Só vamos realmente avançar quando estivermos cheios do Pão da Vida, pois ai então será Ele que fará por nós. Não se engane, é o Senhor que nos dá do Pão da Vida, conforme vemos em João 6:32. Se aquele povo tivesse do Pão da Vida, da presença de Deus, eles nunca teriam colocado a culpa em Moisés, antes teriam assumido esse problema, e buscariam uma solução no Senhor.

3)     A falta do Pão da Vida nos traz saudades do Egito

“E os filhos de Israel disseram-lhes: Quem dera tivéssemos morrido por mão do Senhor na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne, quando comíamos pão até fartar!” Êxodo 16:3

Aquele povo preferia ser escravo comendo carne, do que serem livres e clamarem uma solução da parte de Deus. Trocariam a liberdade deles por comida e chicotadas. Preferiam morrer nas mãos de faraó, do que viver nas mãos de seu Deus e Pai. Veja o que a falta do Pão da Vida nos faz, o que a falta da presença de Deus nos faz, ficamos cegos.

Do que você tem fome? Das coisas de Deus, ou das coisas do mundo? Uma música secular aqui, uma dose de bebida alcoólica dali, talvez alguns capítulos da novela, e assim por diante. E então você pode me dizer: “Não tem nada a ver ouvir uma musiquinha dessas”, ou ainda: “É só um golinho, a bíblia diz que só não posso me embriagar, só um pouquinho eu posso”. Porém a questão não é sobre “pode ou não pode”, a questão é o quanto você é consagrado, a questão é o quanto da vida de Deus você quer na sua vida, a questão é se prefiro uma dose de bebida ou se prefiro me encher do Espírito Santo de Deus. Afinal de contas, do que eu tenho fome?

Aquela geração que murmurou não entrou na terra prometida por conta de ter a identidade e a mentalidade do mundo, por isso o Senhor não os permitiu entrar em Canaã. Qual tem sido sua identidade, do Pão da Vida ou desse sistema maligno? Se não quiser passar fome, se encha do Pão da Vida, e ai então você não terá saudades do Egito, pois estará vivendo na graça de Deus.

4)     A falta do Pão da Vida nos faz viver as experiências do passado

O pão que eu comi hoje, não vai me alimentar amanhã. Deus tinha um princípio para nos ensinar aqui, em que Ele daria a porção diária para o povo de Israel, conforme lemos:

“Então disse o Senhor a Moisés: Eis que vos farei chover pão dos céus, e o povo sairá, e colherá diariamente a porção para cada dia…”.  Êxodo 16:4

O maná era dia após dia, Deus os instruiu para não guardar para o dia seguinte, era para pegarem somente a porção diária. E isso nos diz que não devemos viver de coisas velhas. É muito bom o tempo de Deus que vivemos nas nossas vidas. Talvez uma experiência com o Senhor que te marcou, ou um tempo muito bom, vivido com a Igreja local, tudo isso é bom, mas se faz parte do passado, é preciso partir para algo novo, trocar de bagagem. Deus tem projetos novos para fazer, unção nova para um propósito novo. Avance no Senhor!

As experiências lá do passado, de quando eu ainda não conhecia o Senhor, precisam ser deixadas para trás. Se tenho fome das coisas do mundo, é porque não tenho me alimentado das coisas de Deus, do Pão da Vida. Do que eu tenho fome? Meu estômago espiritual está vazio? Se sim, o Senhor nos chama hoje para matar a nossa fome!

“E Jesus lhes disse: Eu sou o Pão da Vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede.” João 6:35

Se você está cansado de se alimentar de qualquer coisa, se você está cansado de viver do passado, alimente-se do Pão da Vida hoje mesmo! Do que você tem fome? O Senhor está pronto para te dar de comer, e não qualquer comida, mas do verdadeiro Pão da Vida, Jesus Cristo, e ai então, nunca mais passaremos a ter fome pelo pecado, antes estaremos saciados em Sua santidade, cheios de Sua doce presença. Do que você tem fome? Alimente-se do Pão da Vida, e nunca mais tenha fome.

Deserto: O Principal fator de Crescimento

Pr. Bruno Simões

Texto base: Êxodo 14:10-12

E aproximando Faraó, os filhos de Israel levantaram seus olhos, e eis que os egípcios vinham atrás deles, e temeram muito; então os filhos de Israel clamaram ao Senhor. E disseram a Moisés: Não havia sepulcros no Egito, para nos tirar de lá, para que morramos neste deserto? Por que nos fizeste isto, fazendo-nos sair do Egito? Não é esta a palavra que te falamos no Egito, dizendo: Deixa-nos, que sirvamos aos egípcio.” – Êxodo 14:10-12

Todo cristão certamente já passou, está passando ou vai passar por um deserto, e quando nos referimos a deserto estamos falando de uma fase difícil em nossas vidas, que não necessariamente é provocada por nós, mas Deus nos leva ao deserto para que possamos crescer e alcançar a terra prometida.

O deserto é conhecido por algumas particularidades:

a)    Calor intenso durante o dia: no deserto o clima podia atingir 50º C, era muito calor e pressão durante o dia todo. Quando passamos pelo deserto o clima é quente e a pressão é grande.

b)    Frio intenso durante a noite: no deserto, durante a noite o clima podia atingir -5ºC, muito frio, o que dificultava o descanso do povo e também aumentava o risco de enfermidades devido à mudança brusca no clima.

c)    O cenário é sempre o mesmo: não importa para o lado que você olhe, o cenário sempre será o mesmo, areias, dunas e o céu. Quando passamos por um deserto, olhamos para todos os lados e não vemos a situação mudar.

d)    Quem está no deserto se sente sozinho: deserto é lugar de passagem e não de moradia, por isso normalmente não se vê muita gente por lá, é por isso que quando estamos passando pelo deserto, por situações difíceis, nos sentimos sozinhos.

Quando passamos pelo deserto, devido à pressão, à mudança repentina e intensa no clima, ao calor, ao frio, ao cenário que não muda e ao sentimento de solidão, temos a tendência de agirmos de maneira semelhante ao povo de Israel:

1)    Querer voltar ao Egito: “E os filhos de Israel disseram-lhes: Quem dera tivéssemos morrido por mão do Senhor na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne, quando comíamos pão até fartar! Porque nos tendes trazido a este deserto, para matardes de fome a toda esta multidãoÊxodo 16:3

Quando estamos no deserto temos a tendência de pensar: “Por que eu fui sair do Egito?”

Sempre teremos aquele velho pensamento: “Por que eu fui sair do Egito?”. Começamos a pensar no que gostávamos no Egito, sem pensar na escravidão que vivíamos lá, então a tendência é querermos voltar para lá.

2)    Querer olhar para trás: “Então o Senhor fez chover enxofre e fogo, do Senhor desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra; E destruiu aquelas cidades e toda aquela campina, e todos os moradores daquelas cidades, e o que nascia da terra. E a mulher de Ló olhou para trás e ficou convertida numa estátua de sal.Gênesis 19:24-26

Quando olhamos para trás ficamos paralisados, deixamos de avançar e a única coisa que sabemos fazer é falar, reclamar, murmurar. A ordem é não olhar para trás, é esquecer das coisas que para trás ficam e prosseguir em direção à terra prometida.

3)    Não lembrar o que Deus fez: O nosso problema é que nos esquecemos facilmente da bondade e da fidelidade de Deus em nossas vidas. Esquecemos de tudo aquilo que Ele já fez em nosso passado! Vemos em Êxodo 8:22, 9:4 e 9:25-26 que pelo menos três, das dez pragas não atingiram os judeus. É importante que não nos esqueçamos daquilo que Deus fez.

Quando esquecemos o que Deus fez por nós, passamos a preferir ouvir os homens do que a Deus: E todo o povo viu os trovões e os relâmpagos, e o sonido da buzina, e o monte fumegando; e o povo, vendo isso retirou-se e pôs-se de longe. E disseram a Moisés: Fala tu conosco, e ouviremos: e não fale Deus conosco, para que não morramos. Êxodo 20:18-19

No deserto temos andado por vista. E quem anda baseado no que vê e ouve, prioriza a sua própria vida a ouvir Deus.

O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos digo são espírito e vida. João 6:63

Aquele que ouve a Deus tem vida. Crente que não separa tempo para Deus, não tem vida.

4)    Tendência a culpar pessoas: E aproximando Faraó, os filhos de Israel levantaram seus olhos, e eis que os egípcios vinham atrás deles, e temeram muito; então os filhos de Israel clamaram ao Senhor, E disseram a Moisés: Não havia sepulcros no Egito, para nos tirar de lá, para que morramos neste deserto? Por que nos fizeste isto, fazendo-nos sair do Egito? Não é esta a palavra que te falamos no Egito, dizendo: Deixa-nos, que sirvamos aos egípcios? Pois que melhor nos fora servir aos egípcios, do que morrermos no deserto.” Êxodo 14:10-12

Se você está no deserto, pare de procurar culpados. Ele não foi necessariamente causado, mas estava na agenda de Deus para você, porque deserto é um fator de crescimento.

5)    O pensamento de morte rodeia o tempo inteiro: Vemos em Êxodo 16:3 e 20:19 que o povo falava o tempo inteiro em morte, com isso não reverenciavam a Deus. Quando falta temor, nos enrolamos nos laços da morte. Temor significa reverência a Deus.

Ainda que o nosso deserto demore a passar e não exista uma fórmula para que esse tempo de deserto termine, é preciso saber que Deus estará com você em todo momento, e não somente quando o tempo de deserto passar. Ele é o Deus que cuida de você!