Arquivo mensais:junho 2013

:: O que é Perdão e o que não é Perdão

O que é Perdão e o que não é Perdão
Pr. Almir de Freitas

Texto Base: Mateus 6:9-15

Falar em perdão geralmente incomoda pois é algo que a maioria das pessoas tem dificuldades para perdoar e principalmente pedir perdão, mas é inevitável que ao falarmos desse assunto não surjam questionamentos sobre se realmente perdoamos a todos os que nos devem ou nos ofenderam, qual é a nossa resposta? De fato temos exercido o Perdão?

A falta de perdão é algo que Deus não ignora em nosso relacionamento com Ele, é considerado algo que nos impede de nos relacionarmos com Ele. Por isso não podemos ser indiferentes e agirmos como se nada tivesse acontecendo. O Perdão é fundamental para o estabelecimento do nosso relacionamento com Deus.

Precisamos seguir o exemplo de Jesus que nos perdoa e o seu perdão é o perdão vigário, o perdão que assume toda a culpa, todo o dano estava nEle e é por isso que não importa o tipo de pecado, não é porque merecemos, mas a purificação vem pela graça e é por isso que o mundo não entende.

Quando você perdoa, não importa qual seja e com quem seja o problema, ele é resolvido e esquecido, mas infelizmente em muitos casos não é isso que acontece conosco, muitas vezes temos deixado o perdão de lado e escolhemos guardar a ofensa. Mas o diabo sabe que se não perdoamos, Deus também não nos perdoa e a nossa oração não é ouvida por Ele, a falta de perdão nos leva para longe de Deus.

O que não é Perdão:

  1. Você libera o “perdão”, mas coloca o outro em posição inferior o resto da vida e a pessoa fica em dívida com você;

Nesse caso você libera perdão verbalmente, mas age como se o problema não tivesse sido resolvido e esquecido e as pessoas envolvidas no problema, tornam-se escravas umas das outras.

  1. Quando é um perdão unilateral, ou seja, apenas uma das pessoas libera o perdão;

Todos nós temos pontos que expressam fraquezas, a nossa alma não está imune a ofensas ou de ser atingida por alguém, não existe alguém que seja blindado contra ofensas. Todos nós somos passíveis de sermos ofendidos e precisamos aprender a confessar a ofensa e receber o perdão. Não é colocando uma pedra em cima que o problema será resolvido, tomar tal atitude só piora as coisas e as feridas da alma começam a atingir o corpo.

De tanto as pessoas se machucarem, muitas delas tentam criar uma armadura para não ser mais atingidas, muitas vezes essa armadura se chama indiferença, entretanto por trás dessa armadura há um coração frágil e a alma está doente.

  1. Não é perdão se não houver “esquecimento”, não deve ser algo maquiado pelo orgulho;

Assim como Deus lança os nossos pecados e falhas no mar do esquecimento, precisamos perdoar e esquecer o que fizeram a nós, esquecer aquilo que nos ofendeu. Liberar perdão é uma decisão, as se o próprio Deus já perdoou, quem somos nós para não perdoar, se o próprio Deus esquece das nossas ofensas, quem somos nós para querer manter essas lembranças vivas em nós?

Deus nos perdoa, mas também nos mostra onde temos falhado e é por isso que devemos conversar e consertar as coisas perdoando, sendo perdoado e esquecendo.

Pelas nossas forças não conseguimos perdoar ninguém, até porque a nossa carne clama alto por vingança, mas devemos pedir ajuda do Espírito Santo  e orar pelas pessoas que nos ofenderam, pois quando passamos a orar por elas continuamente o nosso sentimento por elas mudará e passaremos a amá-las.

  1. Não é perdão se não envolver “sentimento”;

Todos passamos por decepções entre outras situações que nos machucam, e precisamos admitir que estamos sujeitos a isso, quando nos machucamos, a tendência é nos afastarmos das pessoas, pois só somos ofendidos ou atingidos por pessoas com quem temos relacionamentos, as pessoas são tão falhas quanto nós e temos o direito de ficar chateados, mas não podemos permanecer por muito tempo assim, precisamos exercer o verdadeiro perdão e colocar em prática o amor.

O contrário do amor não é o ódio, é a indiferença, o desprezo, não há sentimento pior do que o desprezo é ruim ser desprezado por alguém e isso acontece quando não há o verdadeiro perdão.

É Melhor viver junto com pessoas que vivem discutindo do que pessoas que nunca conversam sobre o que está acontecendo.

  1. Não é perdão quando não restaura o relacionamento;

Não necessariamente o relacionamento precisa voltar a ser o mesmo que era antes, mas também não deve haver um rompimento total do relacionamento.

  1. Não é perdão se é liberado apenas uma só vez;

Precisamos ser tolerantes, assim como Deus nos perdoa inúmeras vezes e não deixa de nos amar independentemente das falhas que constantemente cometemos, nós precisamos agir de tal maneira, precisamos perdoar quantas vezes for necessário e aprender a amar apesar dos defeitos.

 

Existem pessoas com graves doenças, pois não aprenderam a perdoar, outras vivem totalmente isoladas, não confiam e nem se relacionam, não tem amizades leais, não transmitem alegria e ninguém tem prazer em estar com elas.

Mas nós contemos a vida de Deus e devemos expressá-la através do perdão e da alegria que vem do Senhor, para todas as pessoas ao nosso redor.

Que raiva sinto de mim!

Imagem inline 1

Que raiva eu sinto de mim quando percebo que não amo como deveria, não perdoo como deveria, não sou compassivo como deveria, não me importo o tanto que deveria, não me doo como deveria… Que raiva eu sinto de mim quando percebo que a minha leitura da Bíblia tem sido feita como a leitura de qualquer outro livro, e que isso tem impedido a vida de Cristo ser gerada em mim; quando percebo que ao cantar músicas que deveriam ser de louvor, estou somente cantando por cantar, perdendo a oportunidade de fazer daquilo a minha adoração; quando percebo que as minhas orações têm sido tão mecanicamente construídas que parecem as mesmas – todos os dias; quando percebo que o meu relacionamento com Deus tem se tornado miseravelmente superficial a ponto de eu não mais refletir a sua glória, exalar o seu cheiro. Que raiva eu sinto de mim quando percebo que o cristianismo que eu tenho gritado, pelos quatro cantos do facebook, está longe de ser o cristianismo que eu tenho vivido.
Que raiva!
Que raiva eu sinto de mim quando percebo o quanto eu tenho julgado uma pessoa sem, ao menos, conhecê-la; quando percebo que se alguém traz, na sua personalidade, características diferentes das que eu aprecio, esse alguém não é ‘digno’ do meu amor; quando percebo que tenho me dado o luxo de não amar só porque o outro não é amável.
Que raiva eu sinto de mim quando lembro que o ESPÍRITO SANTO – DO DEUS QUE É O (extraordinário) AMOR – VIVE EM MIM, e mesmo assim eu tenho, mediocremente, praticado um amor conveniente, óbvio, clichê.

Que raiva eu sinto!
Que raiva eu sinto por sentir raiva!

E esse poderia ser o fim deste post, que mais serviu como um desabafo.

Mas, por Graça não foi em raiva que acabou a minha raiva. E eu pude ver todos os meus revoltados sentimentos serem, sutilmente e surpreendentemente, convertidos em uma doce gratidão.
A cruz não foi em vão, queridos! O sacrifício de morte no calvário não foi em vão. Às vezes, os vacilos da minha fé me deixam desanimado e com raiva de mim mesmo, entretanto, logo me vem à lembrança de que a cruz não foi em vão. Houve morte para que houvesse vida, e, de fato, HÁ UMA VIDA. Houve sangue para que houvesse justificação, e, de fato, HÁ UMA JUSTIFICAÇÃO que se manifesta todos os dias.
Sim, essa justificação foi plena, de uma vez por todas, para aqueles que creem, mas… Mesmo assim, o cristianismo que muitos de nós vivemos ainda é tão falho que, por vezes, nem merece ser chamado de cristianismo. Por quê? Para que possamos sentir o delicioso sabor dessa justificação todos os dias. Essa foi a resposta de Deus à minha oração quando eu questionava: “Se já sou justificado, por que não consigo viver a santidade em tempo integral? Se Ele levou sobre si os meus pecados, porque eu ainda peco tanto? Deus, que raiva eu sinto de mim!” E sua voz foi suave, trouxe paz quando disse: “Sua natureza ainda é humana, portanto, você ainda tende ao pecado. Mas, isso é temporal, filho! Em breve você viverá a santidade perfeita e assim será por toda a eternidade. Mas, até lá, entenda o valor da cruz. Entenda quão precioso e necessário foi o ato que promoveu a sua justificação e entenda que esse ato não perdeu o valor quando você se converteu, todavia, em cada pecado que você comete, a justificação faz mais sentido. E se o seu cristianismo tem sido falho, volte-se para a cruz. Ainda é tempo!”

A graça, maravilhosa graça, tem sido abundante na minha vida, e eu espero que também seja na sua.
CORRA PARA CRUZ!!! CORRA PARA OS BRAÇOS DO PAI

 
Que essa meditação te faça tomar uma nova postura de vida. Que essa raiva de você mesmo te faça avançar e transformar a sua própria natureza!
 
Deus abençoe
 
PR. MURILO MULIERI

Capacitação para líderes e líderes em treinamento

Nos dias 22, 23 e 24 de Julho o Pr. Adean Hamilton, supervisor da Vinha Bahia e pastor da Videira de Salvador estarão¡ conosco ministrando a capacitação para líderes, serão dias inesquecíveis, que irão melhorar a sua liderança, não deixe de participar e fortalecer a sua liderança! Em breve disponibilizaremos maiores informações!

 

Vá adiante. Deus deseja que você continue avançando

Pr. Clóvis

Texto base: Ezequiel 47:1-9

 Por volta do ano 597 a.C, o Rei Nabucondonosor levou cativo o Rei Joaquim para a Babilônia junto com seu povo. Depois de cinco anos que o povo estava cativo Deus levantou Ezequiel como profeta para que começasse a profetizar na vida das pessoas de Israel para que não se contaminassem com as práticas da Babilônia.

O homem levou-me de volta à entrada do templo, e vi água saindo de debaixo da soleira do templo e indo para o leste, pois o templo estava voltado para o oriente. A água descia de debaixo do lado sul do templo, ao sul do altar.

Ele então me levou para fora, pela porta norte, e conduziu-me pelo lado de fora até a porta externa que dá para o leste, e a água fluía do lado sul.
O homem foi para o lado leste com uma linha de medir na mão, e, enquanto ia, mediu quinhentos metros e levou-me pela água, que batia no tornozelo.
Ele mediu mais quinhentos e levou-me pela água, que batia na cintura. Mediu mais quinhentos e levou-me pela água, que chegava ao joelho.
Mediu mais quinhentos, mas agora era um rio que eu não conseguia atravessar, porque a água havia aumentado e era tão profunda que só se podia atravessar a nado; era um rio que não se podia atravessar andando.
Ele me perguntou: “Filho do homem, você vê isto? ” Levou-me então de volta à margem do rio.
Quando ali cheguei, vi muitas árvores em cada lado do rio.
Ele me disse: “Esta água flui na direção da região situada a leste e desce até a Arabá, onde entra no Mar. Quando deságua no Mar, a água ali será saneada.
Por onde passar o rio haverá todo tipo de animais e de peixes. Porque essa água flui para lá e saneia a água salgada; de modo que onde o rio fluir tudo viverá.”
Ezequiel 47:1-9

Deus deseja que você vá adiante em sua vida espiritual, familiar, profissional, enfim, em todas as áreas de sua vida, sem se conformar com a mesmice em que está vivendo. Deus levantou Ezequiel para levar a profecia ao povo para que se voltassem a Ele, porque iria restaurar o templo. Mas o povo deveria se movimentar e ir ao encontro de dEle.

E vemos hoje, que Deus também quer que nos movamos e não que fiquemos paralisados.

Muitas vezes dizemos que estamos “Esperando o tempo de Deus”, enquanto deveríamos dizer que estamos caminhando em direção à Sua vontade. Deus está esperando a nossa manifestação de entrar na água, e não se contentar com ela somente nos artelhos.

 Deus preparou uma vida boa e abundante para nós, mas para desfrutá-la devemos avançar na vida espiritual. Não é somente estar na igreja, participar do culto, mas é buscar a presença de Deus diariamente, orar sem cessar, se encher do Espírito Santo.

 Água nos tornozelos

São pessoas que se converteram, foram ao encontro.

Representa o início da vida cristã.

 Água nos joelhos

Representa uma vida de oração, é onde podemos experimentar as nossas orações sendo respondidas, onde podemos focar em Deus e ver que Ele é real, e é a partir daí que vamos começar a buscar a face dEle.

Água nos lombos

É o tempo de exercer um ministério, cumprir a vontade de Deus.

Água que devem ser passadas a nado

Representa os sonhos de Deus pra nossa vida. Importa não fazer mais as nossas vontades, mas a de Deus. Nos entregarmos totalmente para fazer a vontade dEle.

Deus quer nos levar a esse nível profundo, mas antes, é preciso deixar que as águas toquem os nossos tornozelos, os joelhos, o lombo até que estejamos totalmente submersos na dependência de dEle.